A sucupira (Pterodon emarginatus) é uma grande árvore que faz parte da vegetação do cerrado brasileiro e possui propriedades medicinais. Ela vem sendo utilizada há muito tempo para fazer remédios caseiros e todas as partes da planta são aproveitadas para a medicina popular, desde a raiz até as folhas. A sucupira é muito conhecida, principalmente, por seus efeitos anti-inflamatórios, muitas vezes utilizado para tratar o reumatismo, a artrite, artrose e as dores crônicas.

sucupira

Principais benefícios:

- Diminuir a inflamação nas  articulações e, por isso, é  utilizada para tratar artrite,  artrose, reumatismo e artrite  reumatoide;


- Aliviar as dores causadas por  problemas como excesso de ácido úrico e inflamações;


- Combate a amigdalite, dor de garanta;


- Ajuda a curar cistos ovarianos no útero e combate as cólicas;


- Ajuda a cicatrizar feridas na pele, eczemas, cravos nos pés e sangramentos.

Além disso, atualmente existem estudos que apontam que a Sucupira é benéfico no tratamento de diversos outros males corriqueiros, como: infecções de garganta, rouquidão, amigdalites, aftas, gripes e resfriados.

Propriedades Medicinais:

Suas principais propriedades medicinais, são as ações analgésicas, anti-inflamatórias, antirreumáticas e antioxidantes. Além disso, as sementes de sucupira têm ação antitumoral, especialmente contra o câncer de próstata.
Cada parte da planta apresenta diferentes compostos bioativos, ou seja, nutrientes essenciais. Pesquisas mostram a presença de alcaloides na casca e nas folhas e isoflavonas e alguns triterpenos na semente e nos frutos.
As alcaloides se destacam por possuir ação analgésica, antimicrobiana e antiparasitária. As isoflavonas têm atividade neuroprotetora, anticâncer e ações contra acidentes cardiovasculares, derivado da sua alta capacidade antioxidante. Já os triterpenos têm atividade antinflamatória, antioxidante, antiartrítica, antidiabética, cardioprotetora, antiproliferativa, quimioprotetora e citoprotetora.

Quem não pode consumir

A sucupira está contraindicada para grávidas, lactantes e crianças com menos de 12 anos, e deve ser usada com moderação por pessoas com problemas renais ou no fígado.